Entrevista com o Presidente da SOAMAR-Rio Marcio Prado Maia

Marcio Prado MaiaSeguindo uma linha filosó­fica baseada no cunho social, o empresário Márcio Prado Maia falou a Folha Militar sobre as ra­zões que o motivaram a fazer par­te de uma sociedade criada para apoiar a Marinha do Brasil, deno­minada SOAMAR.

Folha Militar: Como e por quê o senhor entrou para a SOAMAR-RIO?

Marcio Prado Maia: Na ver­dade a minha família é tradicio­nal na Marinha. O meu avô o

Vice-Almirante João Prado Maia foi protagonista de uma trilha centenária até hoje seguida por minha família. Então desde pe­queno o meu sonho era ser oficial da Marinha. Por contingência da vida eu acabei não entrando, mas sempre gostei desta instituição militar. Acabei me tornando um entusiasta. Embora civil eu sem­pre mantive contatos com mem­bros da Marinha. Este forte elo fez com que eu fosse agraciado pelo Almirante Saraiva Ribeiro e pelo Almirante (FN) Carlos com a Me­dalha Amigo da Marinha. Acon­selhado pela antiga presidente da SOAMAR-RIO, Professora Teresa Velho, fui fazer parte da Sociedade de Amigos da Mari­nha, me interando efetivamente dos acontecimentos soamarinos. Então fui convidado a me candi­datar à presidência. Aceitei o con­vite sob uma condição: que hou­vesse uma chapa única. Foi o que aconteceu. Tomei posse em 2007 e depois fui reeleito por mais um mandato.

FM: Qual foi a sua primei­ra atitude como presidente da SOAMAR-RIO?

MPM: Eu busquei sempre o lado social como principal meta da instituição, mas antes tínhamos de mudar de sede. Foi quando o 1° Distrito Naval nos cedeu o lo­cal no qual estamos hoje, que fica na Av. Rio Branco, 43, 10° andar.

FM: E depois?

MPM: O passo seguinte foi a criação de um site, simples mais atual, que foi obtido com a aju­da de membros da própria insti­tuição. Após isso surgiu a ideia de um documento que contasse a história da SOAMAR. Foi quan­do publicamos um livro.

FM: O senhor disse que enfa­tiza o lado social. Explique isso.

MPM: Era preciso unir nossas ideias em prol de seguir o estatuto da SOAMAR-RIO que é de ser­vir como apoio para a Marinha. Seguindo a linha busquei identifi­car os pontos mais carentes. Con­seguimos doações significativas o que viabilizou o projeto Qualifi­cação Profissional.

FM: Como é este projeto?

MPM: É uma iniciativa conjun­ta entre SOAMAR-RIO e con­vênio com o Departamento de Serviços Sociais do Abrigo do Marinheiro, e tem como objetivo oferecer bolsas integrais em cur­sos de qualificação profissional para os dependentes de militares e servidores civis ativos e inati­vos, buscando facilitar o ingresso dos futuros formados no mercado de trabalho e gerar melhores con­dições de vida. Conseguimos ain­da o apoio de empresas privadas que viabilizaram a confecção do tão esperado livro “A História da SOAMAR-RIO 1979-2006”, de autoria da Professora Teresa Ve­lho, que está sendo oferecido gra­tuitamente a todos os Soamarinos que tenham interesse em possuí-lo.

FM: O seu mandato esta acabando, o senhor está apoiando algum candidato? E o quê espera dele?

MPM: Meu apoio é ao Dr. Silvio Vasco Campos Jorge, que por sinal é o meu vice-presidente. É um empresário com experiên­cia, e será um elemento fortale­cedor para estreitar ainda mais os laços de amizade entre os nos­sos Associados e a Marinha do Brasil. Além disso o Dr. Silvio também faz parte da Diretoria da SOAMAR-RIO há mais de 13 anos, um atributo que confirma sua capacidade administrativa e que o qualifica para continuar e ampliar projetos de interesse da sociedade. Mais do que apoiar um candidato, o importante nes­sa eleição é que a SOAMAR saia vencedora.

(Luiz Carlos Pereira Coelho)

Almirante Prado Maia, um orgulho da Marinha

● O Almirante João do Prado Maia nasceu no dia 24 de maio de 1897, em  Belém do Pará e logo aos 8 anos teve seu primeiro revés com a morte de seus pais. Apenas com o curso primá­rio, o menino João entrou para a For­ça Naval, aos 14 anos. A vontade de vencer sempre foi marca registrada de Prado Maia. Tanto que em 1914 con­cluiu o ensino secundário, já no Rio de Janeiro, e nesse mesmo ano tornou-se Marinheiro de Primeira Classe. Em 1938, João do Prado Maia ingres­sou- através de concurso – no recém criado Quadro de Oficiais Auxiliares e em 1946 foi nomeado, também por concurso, Professor Catedrático de Português da Escola Naval. Em 1956, aos 59 anos, o Almirante Prado Maia foi para a Reserva. Saía de cena um brilhante oficial de Marinha e entrava o nobre Professor dos cursos Clássico e Científico do Colégio Pedro II e Mostei­ro de São Bento, o poeta e o jornalista. Este novo palco da vida de João do Prado Maia foi onde ele pôde mostrar as mesmas qualidades que o tornara um exemplo da Marinha do Brasil. Ele sempre teve a Força Naval como ins­piração para dar continuidade a vida. Este sentimento tornou-se algo comum na família, já que até nos dias de hoje há sempre um membro na ativa da Ma­rinha. É o caso do atual Cmt. de Ope­rações Navais, Almirante-de-Esquadra João Afonso Prado Maia de Faria. Este ano comemora-se 100 anos de ligação direta entre a Família Prado Maia e a Marinha do Brasil. O nosso entrevista­do, Márcio Prado Maia tem o privilégio de pertencer a uma família tão ilustre da nossa história.

(Pedro Rezende)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *