Último remanescente dos combatentes amazonenses da II Guerra Mundial completa 100 anos e ganha homenagem

Último remanescente dos combatentes amazonenses da II Guerra Mundial completa 100 anos e ganha homenagem

No dia 8 de outubro, o Comando Militar da Amazônia (CMA) teve a honra de homenagear o amazonense e ex-combatente da 2ª Guerra Mundial, Mário Expedito Neves Guerreiro. Ele é o único ainda presente no nosso meio, de um grupo de 160 amazonenses que foram para a Itália participar do maior conflito armado da história da humanidade.

Após seu retorno vitorioso ao País, teve uma carreira brilhante. Formado em Direito, sempre foi um cidadão atuante na sociedade amazonense. Destacam-se suas ações como pioneiro da industrialização de fibras na Amazônia e como idealizador do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (CIEAM).

Para marcar essa data tão especial, o CMA, juntamente com familiares e amigos do Tenente Mário Guerreiro, conduziu uma solenidade em sua homenagem. Durante a cerimônia, foi dado o toque de presença de ex-combatente e foi entoada a Canção do Expedicionário.

O Comandante Militar da Amazônia, General de Exército Estevam Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, agradeceu a abnegação do ex-combatente em defender a Pátria longe do próprio país. “Quando pensamos em defender a Pátria, nós imaginamos defendê-la dentro das nossas fronteiras, mas os senhores [ex-combatentes] tiveram que sair daqui, em condições adversas, com a coragem de ir para o outro lado do mundo para defender o Brasil e a humanidade. É difícil exprimir em palavras a satisfação de termos aqui, no estado do Amazonas, um herói de guerra”, comentou o Comandante, em agradecimento ao Senhor Mário Guerreiro.

Em suas palavras, o General Theophilo declarou, ainda, que os pracinhas são faróis que guiam e dão força aos demais militares para cumprirem suas missões.

(CCOMSEX/FM)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *