Ações de patrulha naval simultâneas das Marinhas do Brasil e da França reforçam segurança na região norte do País

Ações de patrulha naval simultâneas das Marinhas do Brasil e da França reforçam segurança na região norte do País

Como parte das atividades da Operação “Ágata Norte”, nos dias 23 e 24 de outubro, o Navio-Patrulha (NPa) “Bocaina”, subordinado do Comando 4º Distrito Naval, realizou patrulha naval e inspeção naval coordenadas com o Navio-Patrulha “La Résolue”, da Marinha Nacional da França, nas proximidades da foz do Rio Oiapoque (AP), no limite da Zona Econômica Exclusiva (ZEE). As atividades contaram com apoio da aeronave P-95 da Força Aérea Brasileira (FAB) e tiveram como objetivo incrementar a fiscalização e promover ações preventivas e repressivas contra delitos transfronteiriços e ambientais.
 
Foram inspecionadas 18 embarcações, sendo quatro notificadas por descumprirem a Lei de Segurança do Trafego Aquaviário. A Marinha do Brasil empregou cerca de 50 militares. Ainda participaram da operação 30 militares da Marinha Francesa e cinco da FAB.
 
A ZEE faz parte da “Amazônia Azul”, conceito de natureza político-estratégica que compreende também o Mar Territorial, a Plataforma Continental, as hidrovias e demais águas interiores brasileiras. Na Zona Econômica Exclusiva, o Estado costeiro tem direitos de soberania para fins de exploração e aproveitamento, conservação e gestão dos recursos naturais, vivos ou não vivos das águas sobrejacentes ao leito do mar, do leito do mar e seu subsolo, bem como produção de energia a partir da água, das correntes e dos ventos. As condições tornam o local importante para atuação para Forças Armadas a fim de coibir possíveis crimes.
 
Operação “Ágata Norte 2020”
As Forças Armadas, em conjunto com órgãos estaduais e federais e agências de segurança pública e ambientais, realizam, no mês de outubro e novembro, ações preventivas e repressivas contra delitos transfronteiriços e ambientais, de descontaminação (Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica) e de assistência hospitalar nos estados do Pará e Amapá. A operação conta com a participação de 3.605 militares das Forças Armadas, bem como de mais de 70 meios navais, cem meios terrestres e oito aéreos.
 
(MD ASCOM/FM)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *