Aeronáutica, Exército, Marinha, Ministério da Defesa — 30 de janeiro de 2018 4:00 pm

Desfile de 7 de setembro reúne 40 mil pessoas em Brasília

Autoridades civis e militares assistiram o desfile do palanque presidencial

Cerca de cinco mil civis e militares, inclusive jovens e crianças de escolas públicas do Distrito Federal, desfilaram para um público estimado de 40 mil pessoas, durante a cerimônia alusiva aos 195 da Independência do Brasil, na capital federal.
Antes do início do Desfile da Independência, o Ministro da Defesa, Raul Jungmann, recepcionou na tribuna de honra o Presidente da República, Michel Temer. Às 9h18, o presidente autorizou a abertura do desfile cívico militar, acompanhado dos Comandantes da Marinha, Almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira; do Exército, General Eduardo Dias da Costa Villas Bôas; e da Aeronáutica, Brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato; e dos presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia; e do Senado Federal, Eunício de Oliveira; e do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg.

O Coronel da Força Expedicionária Brasileira (FEB), Nestor da Silva, seguiu à frente do grupamento

Logo na abertura, 100 crianças do Programa Forças no Esporte (PROFESP), desenvolvido pelo Ministério da Defesa, com o apoio das Forças Armadas e dos Ministérios do Esporte e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, cantaram o Hino Nacional. Em seguida, alunos do Colégio Militar de Brasília cantaram o Hino da Independência, juntamente com a fanfarra do 1º Regimento da Cavalaria de Guardas dos Dragões da Independência.
O Terceiro Sargento do Exército e atleta olímpico, Vicente Lenilson, conduziu o Fogo Simbólico da Pátria. Em frente ao palanque presidencial, após o toque dos clarins, o militar ergueu o archote e disse: “Oriundo da pira da Pátria, situada na Praça dos Três Poderes, apresento à vossa excelência o fogo simbólico da Pátria”.
Aplaudidos pelo público, um grupamento de ex-combatentes da Segunda Guerra Mundial, desfilou pela Esplanada dos Ministérios. O Coronel da Força Expedicionária Brasileira (FEB), Nestor da Silva, seguiu à frente do grupamento.
Também alunos de escolas públicas do Distrito Federal fizeram uma homenagem ao meio ambiente, trazendo coreografias dos quatro elementos da natureza: ar, água, terra e fogo. Um grupo de senhoras da ação “Ginástica nas Quadras”, da cidade satélite de Ceilândia (DF), animou a plateia. Eduardo Dias de Souza, de 6 anos, veio assistir o desfile pela primeira vez. “Quero ver os soldados e os aviões”, disse o menino.
Os Peacekeepers das Nações Unidas, homens e mulheres das Forças Armadas Brasileiras, que trabalharam em missões de paz no Haiti, Líbano e outros países, também foram muito prestigiados pelo público.
A Banda Marcial do Corpo de Fuzileiros Navais e a apresentação da ordem unida dos granadeiros do Batalhão de Guarda Presidencial foram outras atrações, que com desenhos e acrobacias chamaram a atenção de crianças e adultos.
A família de Edilton Caramuru comparece todo ano ao desfile. O neto Davi Lucca, de 3 anos, assistiu a parada pela segunda vez. “Eu gosto de ver a cavalaria”, completou a esposa, Maria Regina Caramuru.
O tradicional desfile dos alunos e alunas das escolas militares das três Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica), brindou o público com a marcha perfeita. As tropas motorizadas e mecanizadas como os carros Lagarta Anfíbio (CLAnf) e as viaturas Piranha da Marinha, as viaturas do Sistema Astro 2020, e Marruá, do Exército, arrancaram aplausos. No céu azul de Brasília, a Força Aérea Brasileira (FAB) realizou um desfile aéreo com uma aeronave KC-130 Hércules, aviões Super Tucano e helicópteros VH-36.
A Força Nacional de Segurança Pública e a Polícia Federal, órgãos ligados ao Ministério da Justiça, desfilaram com grupamentos e companhias de busca e salvamento, controle de distúrbios, comando e operações especiais e veículos blindados.
A Polícia Rodoviária Federal trouxe viaturas históricas e 26 motocicletas Harley Davidson. A Polícia Militar do DF levou para a Esplanada sua banda sinfônica, os alunos do Colégio Tiradentes, comandos de policiamento, grupos táticos, entre outros. Já o Corpo de Bombeiros desfilou com tropas a pé e no ar. Os carros de bombeiros, com suas sirenes e luzes, encantaram, principalmente, os pequenos.
Ao final, um dos momentos mais aguardados pelo público: a demonstração aérea da Esquadrilha da Fumaça, da FAB. Acrobacias e manobras aéreas encantaram o público do desfile de 7 setembro em Brasília.

Tropas hipomóveis

A Bateria Caiena, do 32º Grupo de Artilharia de Campanha, sediada em Brasília, levou para o asfalto seus cavalos, canhões e carruagens históricas.
A Polícia Militar também trouxe seu policiamento montado. O 1º Regimento de Cavalaria de Guarda “Dragões da Independência”, presentes no grito de D.Pedro I, às margens do riacho Ipiranga, pela independência do Brasil, finalizaram o desfile.

O 7 de setembro pelo País

Capitais e cidades de todo o País também realizaram desfiles cívicos e militares para comemorar o Dia da Independência do Brasil.
Na capital paulista, o desfile aconteceu no Sambódromo. O evento iniciou com a revista às tropas por representante do governo estadual e pelo alto comando das Forças Armadas. A primeira parte da comemoração contou um desfile cívico, com apresentação de diversas entidades civis, alunos das redes municipal e estadual de ensino e entidades.
A segunda parte do desfile teve a participação de militares da Marinha, Exército, Aeronáutica e órgãos de segurança pública, como Polícia Militar do Estado de São Paulo, Polícia Civil e Guarda Civil Metropolitana.
No total, cerca de oito mil integrantes civis e militares desfilaram.
Em Belo Horizonte, o desfile ocorreu na avenida Afonso Pena, reunindo milhares de pessoas no Centro da capital mineira.
Na capital amazonense, o desfile aconteceu no Centro de Convenções e foi coordenado pelo Comando Militar da Amazônia, em parceria com o governo do estado.

Foto 1: Sgt Manfrim/MD

Foto 2: Tereza Sobreira/MD

(MD ASCOM/ FM)

Deixe uma resposta

— required *

— required *