Ministério da Defesa — 5 de outubro de 2017 7:31 pm

Páscoa dos militares reúne Forças Armadas, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar em Brasília

Na manhã de 09 de maio, o Santuário São Francisco de Assis, na Asa Norte, em Brasília (DF) recebeu mais de 800 militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica; do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar do Distrito Federal, para a celebração de Páscoa. Comemorada fora de época, por concessão da Igreja, a data preserva a história do final da 2ª Guerra Mundial, quando a Força Expedicionária Brasileira (FEB) retornou ao Brasil após o período pascal.
No início da santa missa, o arcebispo do Ordinariado Militar do Brasil, do Ministério da Defesa (MD), Dom Fernando Guimarães, falou sobre a origem da celebração em todo Brasil. “Ela nasce no desejo dos nossos pracinhas ao retorno da campanha militar da 2ª Guerra Mundial, quando, na Itália, se viram impedidos de celebrar a Páscoa da Ressurreição no dia exato, domingo de Páscoa. Ao voltar, antes de se separar, eles quiseram celebrar a Páscoa de Jesus e, na vitória de Jesus sobre a morte, celebrar e agradecer a vitória das Forças Aliadas contra o nazifacismo; agradecer e pedir a Deus pelos irmãos febianos e pelos outros militares caídos no campo de batalha; e olhar para o mundo novo que o término do conflito mundial abria para humanidade”, explicou o arcebispo.
A participação das Forças Armadas e das Forças Auxiliares durante o evento foi marcada não só pelas representações que lotaram o Santuário, mas também pela presença de militares do Batalhão da Guarda Presidencial (BGP) compondo o altar; da ala de Dragões do 1º Regimento de Cavalaria de Guardas (1º RCGd) e da banda e coral do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal.

A celebração

A entrada da Bandeira Nacional foi seguida do canto do Hino Nacional. Com a Bandeira entraram também os estandartes de Instituições militares. Na sequência da missa, todos recepcionaram uma imagem da Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil. Militares se revezaram na leitura dos textos litúrgicos.
Na homilia, momento em que o celebrante se dirige aos fiéis, Dom Fernando Guimarães lembrou que a Páscoa dos Militares é um momento da família militar, independente da convicção religiosa. “Neste momento somos todos cristãos unidos pela fé em Jesus e colocando, nessa perspectiva de fé, a nossa realidade de militares, a nossa missão, o nosso trabalho constitucional, que exige de nós não somente o mais elevado grau profissional, mas uma dedicação radical, de nossas próprias pessoas” ressaltou.
Ao lado dos capelães militares de Brasília, o arcebispo falou sobre o papel da vida militar. “Nós nos dedicamos integralmente à promoção da unidade nacional, à defesa das fronteiras, terra, mar e ar; a defesa da segurança da sociedade brasileira. É um papel fundamental, que pede de nós valores”, lembrou Dom Fernando. “Nós militares somos chamados a ser, antes mesmo de fazer o nosso dever. A convicção religiosa, a fé, seja ela qual for, que se torna uma base, sobre a qual nós construímos a nossa vida de cidadãos”, complementou.
Como parte da liturgia eucarística, militares das três Forças e das Forças Auxiliares ofertaram símbolos de suas atividades e os levaram até o altar. E, após a oração do Pai Nosso, num momento de confraternização entre irmãos de farda, desejaram-se a “Paz de Cristo” uns aos outros. Também estiveram unidos em profundo silêncio, para lembrar aqueles que faleceram durante o cumprimento de suas missões.
As palavras finais da celebração da Páscoa dos Militares foram do comandante do Comando Geral do Pessoal da Aeronáutica, brigadeiro Antonio Carlos Moretti Bermudez. “Nós, militares, somos chamados a ser construtores da paz. Que essa nossa Páscoa, a Páscoa da Ressurreição, da família militar, nos renove e nos fortaleça no seu significado maior, a passagem da morte para a vida”, disse o brigadeiro.

A família militar

A capitão-tenente Taryn Machado Senez, do Estado-Maior da Armada, órgão de direção geral da Marinha, destacou a importância da celebração para comunhão entre os irmãos de Arma. “A gente não diferencia o credo, onde todos se sentem muito bem-vindos, onde podemos partilhar o verdadeiro espírito da fé com os nossos irmãos”, comentou a militar, que trabalha com os adidos navais estrangeiros em Brasília.
Já para o subtenente do Corpo de Bombeiros, Ronaldo de Santana Almeida, a celebração da Páscoa celebra a fé cristã com a comunidade militar. “É a celebração da unidade militar, independente de Força, é a nossa unificação no bem comum, na proteção da nossa sociedade”, afirmou Ronaldo.
Participaram da celebração o chefe de Logística e Mobilização do MD, Almirante Leonardo Puntel; o diretor do Hospital das Forças Armadas (HFA), General Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira; o representante do Comandante da Marinha, Almirante Marcos Silva Rodrigues; entre outras autoridades, além dos representantes do Comandante do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, Coronel Ronaldo Wanderlam da Costa Fernandes; da Polícia Militar do Distrito Federal, o Coronel Graciany Batita Pires; e da Nunciatura, o padre Eronildo Manoel da Cruz; entre outras autoridades.

Fotos: Sgt Manfrim/MD

(MD ASCOM/FM)

Deixe uma resposta

— required *

— required *