Aeronáutica — 2 de outubro de 2017 8:42 pm

FAB e Ministério do Meio Ambiente fazem parceria para combater desmatamento

Assim como a parceria entre o Ministério da Saúde e a Força Aérea Brasileira para utilização de aeronaves da FAB no transporte de órgãos, será firmado um acordo com o Ministério do Meio Ambiente para atuação da Força no controle do desmatamento. Os detalhes do documento, que está em fase de apreciação jurídica, foram debatidos, em 11 de maio, durante um encontro entre o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, e o Ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho.
A parceria será em duas frentes. Em curto prazo, será assinado um Termo de Execução Descentralizada (TED), pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), para utilização de aeronaves da FAB em ações de fiscalização e emergências ambientais, além do transporte de agentes. Esse acordo deverá ser assinado no mês de junho.
Em médio prazo, com previsão para início em meados de agosto, o Ministério também deverá utilizar imagens dos satélites de órbita baixa, que estão sendo licitadas pela FAB, para controle de infrações contra o meio ambiente. O Major-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior explicou que, atualmente, mais de um órgão brasileiro compra a mesma imagem, e a centralização que está sendo encabeçada pela FAB trará economia e eficiência para o País.
Segundo o ministro José Sarney Filho, o desmatamento vem aumentando nos últimos dois anos. “Hoje, temos apenas relatórios anuais para acompanhar o desmatamento. Com as novas opções de imageamento, poderemos ter acesso a dados semanais e mensais. Também podemos colocar esses dados em tempo real, online, para que outros órgãos, como universidades, consigam fazer suas próprias análises. É o controle social do desmatamento”, afirma o ministro.
O Tenente-Brigadeiro Rossato explicou que o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), lançado no dia 04 de maio, é apenas o início de uma nova era espacial, que irá impactar positivamente na coleta de informações para diversos órgãos. “Criamos uma estrutura para controlar esse satélite, o Centro de Operações Espaciais, que servirá para atender a todos os outros que teremos no futuro”, disse.
Assim que o TED for assinado, a previsão é de que a primeira ação seja nas vizinhanças do Campo de Provas Brigadeiro Velloso, na Serra do Cachimbo, no Pará. Um estudo identificou que 20% do desmatamento da Floresta Amazônica está em um raio de 200 km desta organização da Força Aérea Brasileira.

(CECOMSAER/FM)

Deixe uma resposta

— required *

— required *