Aeronáutica — 19 de maio de 2016 7:09 pm

Helicópteros mais modernos incorporam novas possibilidades de atuação na FAB

pag 23 1

Em dezembro de 2015, a Força Aérea Brasileira (FAB) recebeu o primeiro helicóptero da América Latina que pode ser reabastecido em pleno voo. Este é um dos motivos para comemorar o Dia da Aviação de Asas Rotativas, celebrado no dia 03 de fevereiro pela instituição. A capacidade, antes disponível apenas para aviões caça no Brasil, vai ampliar o raio de ação de diversas missões, entre elas, as de resgate.
Também em dezembro, o Esquadrão Falcão (1°/8° GAV), sediado em Belém (PA), que emprega o H-36 Caracal, realizou dois importantes resgates, que evidenciam o trabalho desta aviação. O primeiro foi de um homem de 53 anos que havia sofrido um acidente vascular cerebral a bordo de um navio pesqueiro a cerca de 180 km de Belém (PA). A segunda ação envolveu o resgate de um homem de origem filipina que sofria intensas dores abdominais e no peito, além de vômitos. Um dos pilotos, Capitão Izan Ribeiro de Alencar, conta que a operação exigiu muito cuidado da tripulação. “Havia muita turbulência e o vento estava a aproximadamente 40 km/h, o que dificultou o resgate”, disse.
Essas missões remetem ao dia 03 de fevereiro de 1964, data maior para os pilotos de helicóptero da Força Aérea. Naquele dia, um helicóptero H-19 da FAB resgatou tripulantes e missionários prestes a serem capturados por rebeldes armados na República do Congo. Na incerteza da guerra, a operacionalidade dos militares brasileiros garantiu o cumprimento daquela importante missão de resgate, se tornando um marco da Aviação de Asas Rotativas.

Asas Rotativas da FAB

Atualmente, oito unidades da FAB operam helicópteros e são responsáveis por atuar em missões de operações especiais, de ajuda humanitária, de busca e salvamento a embarcações e aeronaves acidentadas, de ataque, supressão de defesa aérea inimiga, apoio aéreo aproximado e, também, na defesa de áreas estratégicas de todo o país.
A chegada da versão operacional do H-36 Caracal é um exemplo do processo de modernização pelo qual passa as unidades aéreas que empregam helicópteros. Na última década, foram incorporados os H-60L Black Hawk, em Manaus (AM) e Santa Maria (RS); o AH-2 Sabre, em Porto Velho (RO); e o H-36 Caracal, em Belém (PA) e no Rio de Janeiro (RJ). Este ano o Esquadrão Pelicano (2º/10º GAV), sediado em Campo Grande (MS), se prepara para o início das operações com o H-36.

Saiba mais

O H-36 Caracal é resultado do projeto H-XBR, que envolve Marinha, Exército e Aeronáutica, prevê a compra de 50 helicópteros. Já foram entregues 22.

Foto: CECOMSAER

(CECOMSAER/ FM)

Deixe uma resposta

— required *

— required *