Ministério da Defesa — 26 de janeiro de 2016 7:35 pm

Desfile de 7 de setembro celebra 193 anos da Independência do Brasil

presidente carro

Em 2015, o tradicional desfile de Sete de Setembro, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF), trouxe algumas novidades para as cerca de 25 mil pessoas que assistiram – de acordo com a Polícia Militar. Uma delas foi o retorno das manobras da Esquadrilha da Fumaça, que encantou crianças e adultos no feriado. Com apenas 6 anos de idade, “Zé Hiltinho” (como é chamado) veio com os tios à capital federal especialmente para assistir a apresentação aérea. Morador de Teresina (PI), o menino quer voltar em 2016.
“É a primeira vez que acompanhamos o desfile. Nossa viagem foi por conta dele, que é apaixonado por aviões. Achei tudo excelente, de primeira”, disse Junior Martins, que, além do sobrinho, estava com a esposa, Lívia Macedo.
O pequeno Luis Felipe, de 4 anos, também ficou encantado com a Esquadrilha da Fumaça. Empolgado, posava para fotos ao lado do pai, Kleber Juliano. “Foi o que eu mais gostei”, falou. É o segundo desfile na Esplanada que o menino assistiu. “Ele gosta muito e eu adoro este tipo de evento”, completou Kleber, que mora em Brasília, na Asa Norte.
Conhecido por “Fumaça”, o Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) é mundialmente famoso por suas performances no Brasil e exterior. Sete aeronaves A-29 Super Tucano realizaram diversas acrobacias e brindaram os presentes com a frase “Somos todos Brasil”, escrita no céu. A equipe entrou para o Guinness Book em 2006 por fazer manobras com 12 aeronaves, em 2006.
No ano passado, os T-27 Tucano foram substituídos pelos A-29 Super Tucano. Por conta disso, não foi possível levar à Esplanada a apresentação completa da Esquadrilha. Os pilotos estavam em treinamento. As cores dos aviões também foram renovadas e puderam ser vistas pela manhã.
Solenidade
Pontualmente às 9h, a locução da solenidade anunciou a chegada da Presidenta da República, Dilma Rousseff, ao local do evento. Escoltada por batedores, ela acenou para a população de dentro do Rolls Royce presidencial e dirigiu-se ao palanque. Lá, foi recebida pelo Vice-presidente, Michel Temer; pelo Ministro da Defesa, Jaques Wagner; e pelo governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg.
Depois das honras militares, o público entoou os hinos Nacional e da Independência. Em seguida, o Comandante militar do Planalto, General Racine Bezerra Filho, pediu permissão para iniciar o desfile. Ele passou todo o evento a bordo de uma viatura blindada Guarani – projeto estratégico do Exército Brasileiro.
Assim como todos os anos, o fogo simbólico da Pátria marcou presença. Atletas portadores de deficiências o conduziram, em alusão aos 365 dias para os Jogos Paralímpicos Rio 2016.
A parte civil da cerimônia ficou a cargo dos alunos das escolas públicas do Distrito Federal. Eles homenagearam os pioneiros de Brasília, em especial os nordestinos e nortistas que ajudaram na construção da capital.

Formatura militar

O Batalhão da Guarda Presidencial proporcionou outra atração impressionante e nova durante a cerimônia. Houve exibição de ordem unida sem comando, quando os militares realizam série de coreografias com os fuzis (que pesam mais ou menos cinco quilos). O objetivo é demonstrar total domínio da arma. A apresentação arrancou aplausos e gritos da plateia. Toda a ação foi feita de frente para o palanque presidencial.
Em iniciativa inédita, alunos da arma de Cavalaria do Colégio Militar de Brasília (CMB) desfilaram integrados ao grupamento hipomóvel dos Dragões da Independência “representando o futuro da nação”. O CMB está há 37 anos na cidade e atende a três mil alunos dos ensinos fundamental e médio. O carneiro mascote da instituição de ensino, Nicodemus, foi uma das estrelas do dia.
Marinha, Exército e Aeronáutica, ademais das Polícias, trouxeram para a Esplanada três mil militares. Além disso, foram 83 viaturas e 25 motos, entre carros leves e blindados, como Guarani e Piranha, os lançadores de foguetes Astros 2020 e o ônibus de choque do Batalhão da Guarda Presidencial. Foram vistos os carros de combate SK 105 e Lagarta Anfíbio (CLAnf) da Força Naval.
Viaturas Marruá passaram transportando o míssil antiaéreo portátil Igla-S, de fabricação russa. E os obuseiros L118 Light Gun também apareceram. Houve, ainda, sobrevoo das aeronaves Hércules KC-130, F-5M e caças A-1 da Força Aérea Brasileira (FAB).
Passaram pela Esplanada grupamentos de alunos de instituições de formação das Forças Armadas, como a Escola Naval, da Marinha; a Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), do Exército; e a Academia da Força Aérea, da FAB. Para fechar o desfile militar, não pôde faltar a entrada de 220 cavalos do 1º Regimento de Cavalaria de Guardas.

Homenagens

Alguns efetivos tiveram destaque neste feriado. Quando apareceram, os veteranos da Força Expedicionária Brasileira (FEB) foram ovacionados e bastante aplaudidos nas arquibancadas. Em 2015, eles completaram 70 anos da vitória do país na Itália, durante a 2ª Guerra Mundial. O ex-combatente da FEB, Coronel Nestor da Silva, de 98 anos, brindou os presentes com a sua vitalidade e disposição na formatura.
Os 150 anos de nascimento do Marechal Cândido Rondon – patrono da arma de Comunicações do Exército – também foi lembrado no evento. E a famosa pirâmide humana do Batalhão de Polícia do Exército, como sempre, impressionou o público, com vários militares um uma única motocicleta. Além disso, um pelotão misto com integrantes das três Forças inovou este ano, simbolizando a interoperabilidade – missão principal do Ministério da Defesa.
As três Forças levaram para o evento pelotões formados inteiramente por mulheres. Elas representaram o ingresso feminino na Marinha, no Exército e na Aeronáutica. Atualmente, são sete mil na Força Naval, oito mil na Terrestre e 9,5 mil na Aérea.

Foto: Blog do Planalto

(MD ASCOM/ FM)

Deixe uma resposta

— required *

— required *