Projeto Rondon levou cidadania e inclusão social a 23 municípios do Maranhão e Tocantins

Durante 15 dias, 460 estudantes e professores universitários do Projeto Rondon levaram projetos de cidadania, inclusão e desenvolvimento sustentável à população de 22 municípios do Maranhão e um de Tocantins. Essas ações, iniciadas em 21 de janeiro, foram concluídas em fevereiro, nos municípios maranhenses de São Luís e Imperatriz, que serviram de base, respectivamente, para as operações “Pai Francisco” e “Babaçu”.
“Temos a certeza de que os objetivos do projeto foram alcançados, uma vez que esses jovens universitários puderam trocar conhecimentos com as comunidades, praticando aquilo que aprenderam em suas universidades, e o mais importante, conhecendo as dificuldades vividas por grande parte da população de nosso país”, disse o coordenador-geral do Projeto Rondon, Vice-Almirante Edlander Santos. “Esses jovens, que muito em breve exercerão a liderança do país, estarão conscientes das mazelas que afligem essas comunidades carentes e, tocados pela experiência do Rondon, estarão, também, sensibilizados para implementar as soluções que amenizem esses problemas”, completou.
Algumas ações realizadas neste início de ano tiveram grande destaque, entre as quais a capacitação de agentes para atuarem nas áreas de saneamento urbano, de saúde, de educação, de comunicação social e de direitos humanos, inclusive para o combate à prostituição e ao trabalho infantil.
Os estudantes interagiram, prioritariamente, com agentes multiplicadores, tais como funcionários das prefeituras e lideranças locais, o que permitiu maior retenção e disseminação dos conhecimentos adquiridos.
Em cada município, trabalharam 20 voluntários de duas instituições de ensino superior diferentes. A intenção é fazer com que, desde o primeiro momento, essas equipes aprendam a trocar experiências e informações, de modo a integrar sua forma de atuação.

Áreas beneficiadas
Na Operação Babaçu, apoiada pelo 50º Batalhão de Infantaria de Selva, os rondonistas atuaram nos municípios de Aguiarnópolis, no
Tocantins, e de Açailândia, Amarante do Maranhão, Buriticupu, Buritirama, Estreito, Governador Edson Lobão, João Lisboa, Ribamar Fiquene, São Francisco do Brejão, São Pedro da Água Branca e Vila Nova dos Martírios, no Maranhão.
Já a Operação Pai Francisco foi apoiada pelo 24º Batalhão de Caçadores. Foram desenvolvidas ações nos municípios maranhenses de Alcântara, Apicum-Açu, Bacuri, Bequimão, Cajapió, Cajari, Guimarães, Luís Domingues, Olinda Nova do Maranhão, Presidente Sarney e São Vicente de Ferrer.

Próximas operações
Atentas às próximas operações, que serão realizadas em julho deste ano para atender a demanda de novas comunidades, instituições de ensino superior (IES) de todo o país já iniciaram o planejamento das ações. Até o final deste mês, o Projeto Rondon publicará em seu sítio eletrônico (www.defesa.gov.br/projetorondon) o edital convocando as IES a enviarem suas propostas de trabalho.
O Comitê de Orientação e Supervisão, integrado pelo Ministério da Defesa e outros órgãos oficiais, vai analisar e aprovar as melhores propostas das instituições de ensino candidatas às novas operações.
Coordenado pelo Ministério da Defesa, o Projeto Rondon tem como objetivo promover a participação voluntária de estudantes universitários em iniciativas que contribuam para o desenvolvimento sustentável das comunidades assistidas.
Criado em 1967, o projeto chegou a ser extinto em 1989. Em 2005, já com nova roupagem, o Rondon voltou a figurar na pauta dos programas governamentais. Desde então, a iniciativa já levou mais de 11.000 rondonistas a cerca de 700 municípios brasileiros.
(MD/ ASCOM/ FM)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *