Forças Armadas vão redefinir programas de articulação e equipamento

As Forças Armadas entregaram no dia 8 de março, suas propostas preliminares de inclusão de programas e projetos para a revisão do Plano de Articulação e Equipamento da Defesa (PAED).
Depois de revisadas por um grupo de trabalho da Subchefia de Integração Logística, a documentação voltará às Forças, que terão até o dia 16 para apresentar o trabalho final.
O PAED irá reunir todas as ações a serem realizadas pela Defesa. Isso inclui a harmonização dos projetos das Forças; a recuperação da capacidade operacional; pesquisa, desenvolvimento e ensino; transferência de tecnologia e aquisição dos produtos de defesa — como os programas F-X2, para escolha de uma nova aeronave de combate para a Força Aérea Brasileira, e Prosuper, para selecionar navios de escolta, de apoio e de patrulha para a Marinha do Brasil.
Outro ponto importante será a criação de programas conjuntos. O PAED permitirá que Marinha, Exército e Aeronáutica consolidem requisitos comuns para a aquisição de equipamentos, ampliando a eficiência e diminuindo custos.
O PAED deve ser entregue ao Ministro da Defesa, Celso Amorim, até 31 de maio, para ser encaminhado ao Congresso, como material de apoio do Livro Branco de Defesa — documento que explicita as linhas gerais da Estratégia Nacional de Defesa, traçando uma radiografia do setor, e estabelece a política de aquisição de novos equipamentos para o próximo quatriênio.
Segundo o chefe de Logística do Ministério da Defesa, Almirante-de-Esquadra Gilberto Max Roffé Hirschfeld, o PAED será, ao lado do Livro Branco, um instrumento que facilitará a comunicação da Defesa com o Congresso e a sociedade.
“Neste momento, é importante a consciência de que o PAED não é um plano da Marinha, do Exército, da Força Aérea ou do Ministério da Defesa. É um plano do Brasil para o século 21.”
O secretário de Coordenação e Organização Institucional do Ministério da Defesa, Ari Matos Cardoso, afirmou o papel complementar do Plano de Articulação e Equipamento da Defesa.
“Estamos construindo o futuro da Defesa brasileira. O Livro Branco é o sonho que queremos. O PAED irá transformá-lo em realidade”, concluiu.
Para que as Forças Armadas pudessem trabalhar com metodologia única, a Secretaria de Coordenação e Organização Institucional do Ministério da Defesa (Seori) desenvolveu um sistema de computação para harmonizar os esforços de planejamento e aquisição a curto, médio e longo prazo.
O software desenvolvido pela Seori facilitará o gerenciamento desse sistema. Ele classifica a ação por prazo, custo, origem e analisa seus impactos em termos sociais, econômicos e tecnológicos.
Ele também permite uma maior coordenação no esforço de compras das três Forças, que poderão traçar requisitos comuns em processos licitatórios.
A nova ferramenta foi apresentada no dia 23 de fevereiro, em reunião no Ministério da Defesa. Além do Almirante Max e do secretário Ari Matos, participaram do encontro o subchefe de Integração Logística, General-de-Divisão Carlos César Araújo Lima, além de representantes dos estados-maiores da Marinha, Contra-Almirante Flávio Soares Ferreira; do Exército, Walmir Almada Schneider Filho, e da Aeronáutica, Brigadeiro-do-Ar José Geraldo Ferreira Malta.

(MD/ ASCOM/ FM)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *