Seminário discutiu reaparelhamento das Forças Armadas

O reaparelhamento das Forças Armadas foi tema do II Seminário de Defesa Nacional promovido pela Frente Parlamentar de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados e pela Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE).
O objetivo do encontro realizado em 15 de fevereiro, na Câmara dos Deputados, em Brasília, foi debater a relação entre a Estratégia Nacional de Defesa (END), o desenvolvimento sustentado do Brasil e os interesses da sociedade brasileira. O evento contou com a presença do Ministro da Defesa, Celso Amorim.
Participaram da abertura o Presidente da Câmara dos Deputados, deputado Marco Maia; o Presidente da Frente Parlamentar de Defesa Nacional, deputado Carlos Zaratini; e o Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp.
Entre os temas discutidos estavam os projetos estruturantes, o reaparelhamento das Forças Armadas, o fortalecimento da Base Industrial de Defesa e as medidas julgadas necessárias para o fortalecimento do setor, como a MP 544/2011, que estabelece normas especiais para as contratações e desenvolvimento de produtos e de sistemas de defesa.

PAED
O chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, General-de-Exército José Carlos de Nardi, abriu o primeiro painel, do qual participaram o Almirante-de-Esquadra João Afonso Prado Maia de Faria; o General-de-Exército Joaquim Silva e Luna, e o Brigadeiro-do-Ar Carlos de Almeida Baptista Junior. “Vamos apresentar um panorama amplo do Plano de Articulação e Equipamento de Defesa (PAED)”, disse o General De Nardi, “que estabeleceu os fundamentos para o processo de modernização da Defesa nacional.”

Para o deputado Carlos Zaratini, o seminário foi extremamente importante para aprofundar o debate sobre a criação de uma política industrial e de incentivo tecnológico dentro dos parâmetros estabelecidos pela Estratégia Nacional de Defesa. “Nosso objetivo é ampliar o máximo a autonomia de nosso parque industrial e de reverter a atual dependência de fornecedores estrangeiros”, ressaltou.

(MD/Agência Força Aérea/ FM)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *