Capital estrangeiro continua bem-vindo na indústria de defesa, diz Amorim

O Ministro da Defesa, Celso Amorim, afirmou nesta quarta-feira que a indústria nacional de defesa continua aberta a investimentos de outros países. A declaração foi feita na abertura do II Seminário Estratégia Nacional de Defesa, realizado pela manhã na Câmara dos Deputados.
“Continuamos a dar boas-vindas ao capital estrangeiro na indústria de defesa, de preferência quando está associado a alguma empresa ou entidade nacional”, afirmou Amorim. “Temos vários exemplos bem-sucedidos de parceria, e a MP 544/11 em nada as afeta. Cria apenas vantagens adicionais para empresas estratégicas nacionais.”
O Ministro citou como exemplos de parceria, “entre outros”, o projeto Guarani, desenvolvido em conjunto pelo Centro Tecnológico do Exército e a empresa italiana Fiat-Iveco, e a fabricação de helicópteros EC 725 pela Helibras, num acordo com fornecedores franceses.
O Ministro da Defesa também propôs a busca de novas parcerias, “além das tradicionais, como os Estados Unidos e os países europeus.” Lembrou, a título de ilustração, a África do Sul, que desenvolve o míssil A-Darter com empresas brasileiras, e a Índia, onde esteve recentemente. “São países que, até hoje, talvez não tenham recebido a atenção que merecem”, destacou, “principalmente a Índia, de onde retornei de uma visita extremamente exitosa.”
O II Seminário Estratégia Nacional de Defesa foi uma iniciativa da Frente Parlamentar de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados e da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (Abimde).
(ASCOM/ FM)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *