Quinto Jogos Mundiais Militares – Rio 2011

Fogos de artifício coloriram o Estádio João Havelange, na noite do dia 24 de junho, no Rio de Janeiro. Na área central do estádio, os maiores protagonistas do espetáculo – cerca de 4.200 atletas de 114 países – exibiam com orgulho bandeiras e medalhas. Mais que um grande evento esportivo internacional, no entanto, a cerimônia de encerramento dos 5° Jogos Mundiais Militares – Rio 2011 ficou marcada como uma grande festa verde-amarela. Pela primeira vez, o Brasil ficou no topo do quadro geral de medalhas, com 114 conquistas: 45 ouros, 33 pratas e 36 bronzes.

Com enormes faixas de agradecimentos ao povo brasileiro, os atletas estrangeiros deram adeus ao país. Nos últimos dez dias, foi deles o maior triunfo: a disputa leal de 628 medalhas em 20 modalidades esportivas.

“Foi uma honra para o Brasil sediar evento de tamanha magnitude. Agradeço a todos os que trabalharam e se dedicaram para o sucesso dos Jogos”, disse o ministro da Defesa, Nelson Jobim, que pediu também um minuto de silêncio em memória às vitimas do atentado, na Noruega. “Levem consigo boas recordações do Brasil e desta maravilhosa cidade do Rio de Janeiro”, finalizou.

O Presidente do CISM (Conselho Internacional de Esportes militares), Hamad Kalkaba Malboum, também fez um discurso de agradecimento aos atletas pelo desempenho e pelo sucesso do evento. Na avaliação das autoridades, o lema do CISM – amizade através do esporte – renovou-se em cada momento da competição.

Além da lealdade demonstrada ao longo das disputas, os atletas deram reiteradas amostras de garra e superação. Ao longo dos Jogos, foram obtidos 23 novos recordes – seis deles na natação, modalidade que converteu o brasileiro Gabriel Mangabeira na grande estrela individual dos Jogos. Maior medalhista da competição, Mangabeira conquistou cinco ouros e uma prata para o Brasil.

O nadador não esteve sozinho. Ao longo das competições, o Brasil foi representado por 268 atletas que disputaram todas as 20 modalidades dos jogos: atletismo, boxe, basquete, esgrima, futebol, hipismo, judô, natação, pentatlo moderno, taekwondo, tiro, triatlo, vela, vôlei, vôlei de praia, orientação, paraquedismo, pentatlo naval, pentatlo militar e pentatlo aeronáutico.

Juntos, eles ajudaram o país a conquistar 45 medalhas de ouro, 33 de prata e 36 de bronze, o que rendeu ao país o primeiro lugar histórico no quadro geral de medalhas. Na edição anterior, em Hyderabad (Índia), o Brasil havia terminado em 31º lugar.

Já ao final da festa de encerramento, o Almirante Bernardo José Pierantoni Gambôa, Presidente da Comissão Desportiva Militar Brasileira, e o General Jamil Megid Júnior, Coordenador Geral do Comitê de Planejamento Operacional do Rio 2011, entregaram os símbolos da competição e o fogo olímpico para militares da Coreia do Sul, próximo país a sediar o evento, em 2015.

O espetáculo chegou ao fim quando a chama da pira olímpica foi apagada pela jornalista e ex-atleta Glenda Kozlowski e Arion, o mascote dos jogos, emocionando as milhares de pessoas que coloriam de verde e amarelo o estádio do Engenhão. O cantor Jorge Ben Jor encerrou a festa com o hit “País tropical”, para deleite de todos aqueles que, especialmente nesse domingo, tiveram orgulho de ser brasileiros.

(ASCOM/ FM)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *