ADESG — 18 de agosto de 2011 12:55 pm

Entrevista com o Presidente da ADESG Brigadeiro Hélio Gonçalves

O Brigadeiro Hélio Gonçalves ingressou na Aeronáutica no ano de 1966, tornando-se aspirante pela Academia da Força Aérea, em 1969. No ano de 1975, completou o curso de pós-graduação em Engenharia Civil na Universidade do Estado do Rio de Janeiro e em 1982 e 1988, cursou Organização e Métodos, pela Fundação Getúlio Vargas e Comércio Exterior e Contratos, pela City and East London College. Ele participou do grupo de trabalho que acionou o Centro de Computação da Aeronáutica, utilizando-se do conhecimento adquirido nos diversos cursos que participou na área de Tecnologia da Informação, nos anos de 1970 e 1992. Foi diplomado pela Escola Superior de Guerra no curso de Altos Estudos de Política e Estratégia, em 1997. Hélio Gonçalves exerceu diversos cargos importantes na carreira militar, como de Prefeito da Aeronáutica do Galeão e o de chefe de diversos departamentos da Comissão Aeronáutica Brasileira, em Londres. No ano de 2001, Hélio Gonçalves foi promovido ao posto de Brigadeiro e em 2005 foi para a reserva.

Folha MilitarPresidente da ADESG: Quando o senhor entrou para ADESG?

HÉLIO GONÇALVES: Cursei a ESG, em 1997. Sou da turma Cruzeiro do Sul e no termino  do curso ouvi falar da Associação dos Diplomados da Escola  Superior de Guerra. Me associei mas não freqüentava as reuniões. Certo dia fui convidado para participar da chapa do General Licinio que era candidato a  Presidente. Ele me convidou para ser um dos seus Vice-Presidente. Fomos eleitos por dois anos, e assim fiquei como 2º Vice-Presidente.  Posteriormente teve a eleição do prof. Pedro Ernesto e fui convidado novamente para me candidatar, só que desta vez como 1º Vice-Presidente. Assim fiquei mais dois anos na  administração da ADESG. Ao termino do mandato, do prof. Pedro Ernesto, fui convidado para ser candidato a Presidente, tendo em vista que a  presidência caberia a um representante da aeronáutica. Me candidatei e fui eleito em chapa única por aclamação. Nossa administração vai completar um ano agora no dia 7 de dezembro, exatamente no aniversario da ADESG.

● FM: O que é a ADESG?

HG: É uma sociedade civil e sem fins lucrativos que atua sem vinculações com partidos políticos ou organizações de qualquer natureza. Fundada em 7 de dezembro de 1951, foi considerada de utilidade pública, por Decreto, em 21 de outubro de 1954. A ADESG existe para divulgar a doutrina da ESG e para atender os diplomados da ESG ( Escola Superior de Guerra ) e de seus Cursos de Estudos de Política e Estratégia (CEPEs). A  ADESG é uma instituição sui generis, porque ela integra um sistema com cerca de 100 organizações. Temos 30 delegacias em todo o Brasil e mais setenta representações. A sede da nossa instituição nós denominamos ADESG AN, que é o órgão central do nosso sistema, que coordena e capitaneia todas as demais delegacias e representação. Temos  uma atividade muito grande e importante e tem uma relevância para todo o sistema. Nós temos que estabelecer normas, regras para que o sistema funcione. Então nós elaboramos um planejamento, que na realidade é um plano estratégico que implementamos no sistema ADESG. Temos três Vice-Presidências. Na 1ª Vice-Presidência , o Almirante Edésio Araripe, na 2ª Vice-Presidência o General Umberto Andrade e na 3ª Vice-Presidência o delegado federal Pedro Berwanger, cada um com uma função específica.

● FM: Qual o objetivo da ADESG?

HG: A ADESG procura divulgar e disseminar em todo o território nacional, os cursos ministrados na Escola Superior de Guerra.

● FM: Existem outras atividades para os associados?

HG: Nós temos um almoço mensal em que homenageamos uma personalidade da nossa sociedade civil ou uma autoridade das forças armadas. Também publicamos o jornal ADESGUIANO mensalmente. Essas duas atividades ocupam muito o nosso tempo e nossa diretoria é constituída por voluntários, portanto precisamos contar com a disponibilidade de tempo de cada um. Isso de certa forma vai resultar sempre na opinião e decisão do presidente. Assim, acabamos tendo uma sobre carga em nossa atividade.

● FM: O que o senhor pretende realizar na segunda etapa do seu mandato?

HG: Nós fizemos um planejamento no início de nossa gestão, aproveitando a minha experiência dos 4 anos que participei da Diretoria Executiva como Vice-Presidente. Entretanto senti a necessidade de montar um plano estratégico para a ADESG e fui buscar as ferramentas necessárias na Escola Superior de Guerra, utilizando o seu método de planejamento de ação política. Estamos aplicando esse método aqui na instituição e fizemos um planejamento trianual, que vou deixar para meu sucessor. Vamos entregar esse planejamento ao Ministro da Defesa Nelson Jobim.

● FM: A ADESG tem uma sede própria?

HG: Isso é o nosso grande sonho. Ter uma sede própria. Não entendemos uma instituição com 59 anos de existência  sem a sua sede. Hoje estamos ocupando uma área com 600m² emprestada pelo Comando Militar do Leste. Entretanto já iniciamos uma campanha entre os associados para comprarmos a nossa sede própria.

● FM: Qual sua opinião sobre a criação do jornal Folha Militar?

HG: Antes quero agradecer sua presença em nossa instituição, por esta oportunidade de divulgar o trabalho da ADESG. Os veículos de comunicação social nem sempre abrem espaço para nós. Achei bem interessante a criação do jornal Folha Militar. Vai cobrir uma lacuna na divulgação dos trabalhos desenvolvidos por militares da marinha, exército e aeronáutica. Como você sabe nosso veículo de comunicação é o jornal ADESGUIANO, que tem o objetivo de divulgar as notícias da ADESG, ESG e das Forças Armadas. Então se o jornal Folha Militar tem o mesmo propósito será bem-vindo no meio militar e na sociedade civil.

(Luiz Carlos Pereira Coelho – FM)

  • Compartilhar:
  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg

Deixe uma resposta

— required *

— required *