Operação Conjunta Amazônia: atividades de ambientação marcam início dos exercícios de simulação

Atividades de ambienta­ção, que incluem o trânsito flu­vial até o local dos exercícios militares e o conhecimento da população nativa, marcaram no dia 23 de maio o início da Operação Conjunta Amazônia 2011, que mobiliza, até o dia 3 de junho, 4,5 mil militares da Marinha, do Exército e da Força Aérea em um exercí­cio de simulação de guerra na região.

O objetivo da operação é aprimorar o adestramento das três Forças para atuar, de forma coordenada e eficaz, em confli­tos convencionais no ambiente de selva, além de prestar apoio às comunidades ribeirinhas, por meio de ações cívico-sociais.

De acordo com a progra­mação divulgada pelo Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, órgão encarregado de planejar o emprego conjun­to das Forças, as tropas envol­vidas no ensaio iniciaram dia 23 de maio, o deslocamento até Tefé (AM), município de onde se dará o controle da execução dos exer­cícios e das ações de apoio à comunidade local.

As atividades de ambien­tação, que ocorreram até 25 de maio, incluíram também a pa­trulha fluvial do Rio Solimões e adestramentos internos das tropas. Um batalhão de opera­ções psicológicas faz ainda o levantamento de dados da po­pulação local, como forma de subsidiar ações a serem desen­volvidas.

Faz parte também da pre­paração in loco dos militares a execução do chamado “Turno Zero”. A atividade configura um teste final do sistema de simula­ção de combate e uma espécie de “aquecimento” para o exer­cício, envolvendo controladores e postos de comando, interliga­dos pelo sistema de comunica­ções montado para a operação. O turno zero marca o início da simulação no sistema e carac­teriza o início do exercício pro­priamente dito.

(ASCOM/ FM)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *